top of page

Uma nova classificação biológica da doença de Parkinson

Atualizado: 4 de mai.


Para adicionar à polêmica trazida pelo artigo citado no post anterior, sobre a doença neuronal da alfa-sinucleína, o artigo intitulado "A biological classification of Parkinson’s disease: the SynNeurGe research diagnostic criteria", publicado na Lancet Neurology, propõe uma classificação biológica da doença de Parkinson (DP) que vai além das manifestações clínicas para focar nas bases moleculares da doença.





Esta nova classificação, denominada SynNeurGe, é baseada em três componentes principais: a presença ou ausência de α-sinucleína patológica (S) em tecidos ou fluido cerebroespinhal, evidências de neurodegeneração subjacente (N) definidas por procedimentos de neuroimagem, e documentação de variantes genéticas patogênicas (G) que causam ou predispoem fortemente à DP. Estes componentes estão ligados a um componente clínico (C), definido ou por uma característica clínica de alta especificidade ou por múltiplas características clínicas de menor especificidade.


A proposta destaca que, apesar dos avanços na identificação de biomarcadores, os critérios diagnósticos atuais para a DP baseiam-se quase exclusivamente na identificação de características clínicas, que se manifestam apenas quando uma proporção significativa de neurônios dopaminérgicos na substantia nigra já foi perdida.


A abordagem biológica para a classificação e diagnóstico da DP, proposta pelos autores, serviria como base para um diagnóstico clínico e pré-clínico objetivo, para a estadiamento e para a subdivisão precisa da DP de acordo com mecanismos patogênicos.


O artigo propõe o termo SynNeurGe para destacar as relações e interações entre seus três componentes principais. A definição biológica da DP reconhece que os processos biológicos que eventualmente levam ao desenvolvimento das características clínicas principais da DP estão presentes muito antes do início dessas características e que já é tecnicamente possível detectar mudanças biológicas muito antes do que era anteriormente possível. Os pesquisadores enfatizam, no artigo, que a aplicação inicial desses critérios é exclusivamente para fins de pesquisa, reconhecendo suas implicações éticas, limitações e a necessidade de validação prospectiva em estudos futuros.


Em conjunto com a outra proposta, podemos considerar que a transição para uma classificação biológica da doença de Parkinson representa uma mudança de paradigma significativa na compreensão e no manejo da DP. Ao enfocar nos processos biológicos subjacentes, o sistema proposto também tem a intenção de melhorar os resultados dos pacientes por meio de diagnósticos mais precoces e precisos, melhor estratificação dos pacientes para ensaios clínicos e o desenvolvimento de tratamentos mais eficazes, direcionados aos mecanismos biológicos específicos da doença.


Referência:

Höglinger GU, Adler CH, Berg D, et al. A biological classification of Parkinson's disease: the SynNeurGe research diagnostic criteria [published correction appears in Lancet Neurol. 2024 Mar;23(3):e7]. Lancet Neurol. 2024;23(2):191-204. doi:10.1016/S1474-4422(23)00404-0

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

NOAR MultiScent-20: teste digital de olfato

O MultiScent-20 é um inovador teste digital para avaliação do olfato, projetado para superar as limitações dos métodos psicofísicos tradicionais e oferecer uma avaliação precisa e confiável do sentido

Comments


bottom of page